Países anunciam aplicação de terceira dose de vacina contra a Covid-19

O Ministério de Sa√ļde P√ļblica do Uruguai anunciou nesta quarta-feira (28) que todos os vacinados no pa√≠s com as duas doses do imunizante Coronavac poder√£o receber uma terceira inje√ß√£o do f√°rmaco produzido pela Pfizer.

De acordo com um comunicado divulgado pela pasta, a medida se baseia na recomendação de uma comissão que assessora o governo uruguaio. O documento prevê uma aplicação escalonada, válida para quem recebeu a segunda dose da Coronavac há pelo menos 90 dias.

Na ter√ßa-feira (27), o ministério j√° havia anunciado a aprova√ß√£o da aplica√ß√£o de uma terceira e até de uma quarta dose da vacina contra a Covid-19 para pessoas com imunossupress√£o moderada e grave decorrente de outras doen√ßas —por terem um sistema imunológico deficit√°rio, essas pessoas tornam-se eleg√≠veis a receber doses de refor√ßo contra o coronav√≠rus.

O Uruguai iniciou sua campanha de vacina√ß√£o h√° quase cinco meses. Até esta quarta-feira (28), 73,5% dos uruguaios receberam ao menos uma dose dos f√°rmacos anti-Covid, e pouco mais de 63% est√£o completamente imunizados.

O bom desempenho na imuniza√ß√£o coloca o Uruguai na quinta posi√ß√£o na lista de pa√≠ses com mais doses aplicadas em propor√ß√£o ao tamanho de suas popula√ß√Ķes. Foram 1.365,4 doses a cada mil habitantes.

O ranking é formado por Malta (1.700,1), Emirados Árabes Unidos (1.683), Seychelles (1.438,2) e Isl√Ęndia (1.372,7) —o Brasil é o 59¬ļ da lista, com √≠ndice de 648,7 aplica√ß√Ķes.

A ades√£o à vacina√ß√£o também se traduz em uma queda acentuada no n√ļmero de novos casos, mortes e hospitaliza√ß√Ķes por complica√ß√Ķes provocadas pela Covid-19. Em abril, o Uruguai tinha a maior taxa de cont√°gios di√°rios do mundo e também se tornou o recordista de mortos por milh√£o de habitantes.

Esses √≠ndices tiveram uma ligeira queda no final de abril, voltaram a subir em maio e, a partir de meados de junho, despencaram. Em 10 de junho, por exemplo, a média móvel de casos di√°rios era de 3.659. Na √ļltima ter√ßa-feira (27), o √≠ndice registrado foi de 202 —queda na faixa dos 94%. No n√ļmero de mortes, a porcentagem é semelhante. Em 10 de junho, morriam, em média, 57 pessoas por dia em decorr√™ncia do coronav√≠rus. Na ter√ßa, o √≠ndice foi pouco maior que 6.

Israel também come√ßar√° a oferecer, a partir desta sexta-feira (30), uma terceira dose da Pfizer para pessoas com mais de 60 anos. "Pe√ßo a todos os idosos que receberam a segunda dose, que busquem a suplementar", disse o premi√™ israelense, Naftali Bennett. "Meu primeiro telefonema, depois de terminar de falar, ser√° para a pessoa mais querida por mim, minha m√£e, para que eu possa lev√°-la para ser vacinada [com a terceira dose] imediatamente."

Nesta quarta, a Hungria também anunciou a aplica√ß√£o de uma terceira dose do imunizante contra o coronav√≠rus para todos os que foram vacinados h√° mais de quatro meses. O objetivo é refor√ßar a imunidade dos mais idosos e vulner√°veis, principalmente com a dissemina√ß√£o da variante delta —que foi inicialmente identificada na √ćndia e é mais contagiosa— no continente europeu.

Ainda n√£o h√° um amplo conjunto de evid√™ncias cient√≠ficas suficiente para avaliar se os beneficios de uma vacina√ß√£o de refor√ßo compensam os custos, mas alguns pesquisadores t√™m apontado para uma queda no n√ļmero de anticorpos após a vacina√ß√£o a partir da terceira semana. Após quatro meses da vacina√ß√£o total, o n√ļmero de anticorpos varia entre um quinto e a metade dos encontrados pouco depois da imuniza√ß√£o.

No Brasil, o ministro da Sa√ļde, Marcelo Queiroga, anunciou nesta quarta que a pasta encomendou um estudo para avaliar a necessidade de uma terceira dose em pessoas que receberam a Coronavac. A pesquisa ser√° conduzida pela Universidade de Oxford em S√£o Paulo e Salvador, e envolver√° testes com uma nova dose da Coronavac e de outras tr√™s vacinas aprovadas no Brasil: Pfizer, AstraZeneca e Janssen. A expectativa é que os resultados sejam divulgados até novembro.