Investigações apontam que crime contra vereador de Ipecaetá tenha relação com tráfico de drogas

Na noite da √ļltima quinta-feira (7), o vereador de Ipecaet√° Sivaldo Alves Barreto (PSD), conhecido como Bagaceira, foi assassinado a tiros dentro de um bar em Santo Estev√£o.

Em entrevista ao Acorda Cidade, o delegado Lu√≠s Osório, titular da Delegacia Territorial (DT) de Santo Estev√£o, informou que h√° tr√™s linhas de investiga√ß√£o para elucidar o crime, entre elas, o envolvimento do pol√≠tico no mundo do crime.

"Nós j√° temos tr√™s linhas de investiga√ß√£o, uma é a própria pol√≠tica e que nós estamos concluindo até o final da semana, a segunda é a quest√£o pessoal, afetiva que até o presente momento, n√£o h√° nenhum ind√≠cio, nenhum caminho para a gente seguir, ent√£o esta, provavelmente ser√° descartada e temos a terceira linha de investiga√ß√£o, que é vida dele no dia a dia, a comercial. A esposa dele declarou que ele traficava, ent√£o era um vereador traficante. Estamos investigando de onde partiu esta ordem, se foi de algum grupo de Santo Estev√£o ou se foi de algum grupo de Sim√Ķes Filho, onde ele também tinha uma base", explicou.

De acordo com o delegado, dois homens efetuaram os disparos contra o vereador Sivaldo Alves Barreto.

"Dois carros param, um ainda fica parado e o outro se aproxima do local, saltam dois elementos que vão em direção ao vereador, disparam contra ele na cabeça, nisso ele cai, e continuam disparando na região do pulmão", disse.

Ainda segundo o delegado Lu√≠s Osório, as investiga√ß√Ķes est√£o passando por algumas dificuldades, pois as pessoas que estavam no momento do crime, se recusam a prestar qualquer informa√ß√£o. De acordo com ele, a Pol√≠cia Civil também est√° em busca de um homem que est√° presente em uma foto do vereador, horas antes de ser assassinado.

"Como sempre, as pessoas tomam um pó de pirlimpimpim e desaparecem, nem a dona do bar sabe quem ela estava servindo naquela noite. Nós estamos em busca da pessoa com quem ele estava acompanhado, porque temos o ind√≠cio de uma foto do vereador que foi enviada para a esposa por volta das 14h, mas n√£o sabemos se este mesmo sujeito, é o mesmo que estava com ele no momento do homic√≠dio", concluiu.