Pandemia de Covid-19 está piorando em escala mundial, diz OMS

O diretor-geral da organização, Tedros Adhanom, disse ainda que o mundo deve alcançar um total de 10 milhões de casos e 500 mil mortes na próxima semana

Foto: Reprodução (1º.abr.2020)

Foto: Reprodução (1º.abr.2020)

Mesmo em meio aos protocolos de flexibilização pelo mundo, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, afirmou que a situação da pandemia "está piorando" em escala mundial.

Em videconferência com líderes do Parlamento Europeu nesta quinta-feira (25), Tedros elogiou a situação do continente mas destacou que, de maneira geral, a crise tem avançado.

"A situação na Europa tem melhorado. Mundialmente, continua ficando pior. Nos primeiros meses deste surto, menos de 10.000 casos foram reportados para a OMS. Nos últimos meses, quase 4 milhões de casos foram reportados. Nós esperamos alcançar um total de 10 milhões de casos e 500 mil mortes na próxima semana", disse o diretor no momento em que o número de infecções pelo novo coronavírus confirmadas ultrapassa os 9,2 milhões.

Essa não é a primeira vez que Tedros alerta sobre a manutenção da crise de saúde. No ínicio de junho, ele já havia alertado que a situação continuava alarmante na América Latina, especialmente no Brasil.

"Apesar da transmissão ter sido reprimida na maioria dos países da União Europeia, o vírus continua circulando. Ele continua sendo mortal e a maioria das pessoas está suscetível a ele. Este é o momento de mantermos a guarda, e não de abaixá-la", continuou, em uma referência ao fim da quarentena nos países.

Vacina

Já ao comentar a criação de uma vacina contra a Covid-19, Tedros Adhanom optou pela cautela. Segundo ele, a imunização seria um avanço científico inédito, já que nunca foi descoberta uma fórmula preventiva contra algum tipo de coronavírus.

Mas, segundo ele, "caso a vacina seja criada", a estimativa para sua disponibilidade à população deve ser de um ano. "A estimativa é que podemos ter uma vacina dentro de um ano. Se acelerado (o processo de aprovação), poderia ser até menos de um ano, apenas alguns meses. Isto é o que os cientistas estão dizendo."

Elogios à China

Adhanom também respondeu às críticas de que a China não teria avisado outros países sobre a pandemia "cedo o suficiente", dizendo que não é possível comparar o tempo de resposta do país com outras nações.

Ele elogiou as autoridades chinesas por sua gestão de crise. "Nós reconhecemos países quando eles acertam. Por exemplo, as medidas que eles (China) tomaram em Wuhan foram muito fortes - medidas sociais muito fortes foram tomadas. E então eles identificaram o vírus em um tempo recorde."

A província de Wuhan foi a primeira a registrar um caso oficial do novo coronavírus, nos últimos dias de 2019.

(Com Reuters)