Santo Estêvão: Polícia investiga se adolescente de 15 anos morta por jovem de 17 estava grávida

Polícia apura gravidez e investiga se essa pode ter sido a motivação do crime. Suspeito tinha relacionamento com outra pessoa, disse delegado.

Foto: TV Subaé

Foto: TV Subaé

A polícia investiga se a adolescente Viviane Cardeal Silva, de 15 anos, que foi encontrada morta e enterrada na Fazenda Purrão, na zona rural de Santo Estêvão, estava grávida quando foi assassinada. Um jovem de 17 anos confessou o crime.

O corpo da v√≠tima foi encontrado em estado avan√ßado de decomposi√ß√£o na segunda-feira (31). Nesta ter√ßa (1¬ļ), o G1 conversou com o delegado Luiz Nobre, que investiga o caso, e ele disse que o suspeito deu uma "vers√£o fantasiosa" para a motiva√ß√£o do crime. Essa vers√£o n√£o foi detalhada pelo delegado.

Apesar disso, durante o depoimento, o jovem chegou a confirmar à pol√≠cia que mantinha rela√ß√Ķes sexuais com a adolescente, mas que ele vive em "uni√£o est√°vel" com outra pessoa. Por causa disso, o delegado pediu exames para confirmar a poss√≠vel gravidez da v√≠tima.

Segundo o delegado, foram solicitados exames para apurar a poss√≠vel gesta√ß√£o da adolescente, e se essa pode ter sido a motiva√ß√£o do crime. Luiz Nobre investiga também se h√° a participa√ß√£o de uma segunda pessoa no crime.

Desaparecimento

Viviane saiu de casa no dia 13 de agosto e disse à m√£e que ia colocar crédito no celular. Depois disso, ela foi vista na garupa de uma motocicleta, pilotada pelo jovem de 17 anos. Imagens de c√Ęmeras de seguran√ßa registraram o momento e possibilitaram a identifica√ß√£o do suspeito.

Inicialmente, na delegacia, ele negou envolvimento no sumiço de Viviane. Dias depois, procurado novamente pela polícia, ele confessou ter matado a adolescente e contou ao delegado onde o corpo da vítima havia sido enterrado, na zona rural de Santo Estêvão.

O jovem n√£o chegou a ser apreendido porque a Delegacia de Santo Est√™v√£o n√£o possui custódia para menores de idade e porque o prazo de flagrante do crime j√° havia passado. O delegado encaminhou um boletim de ocorr√™ncia circunstanciado para o Ministério P√ļblico da Bahia (MP-BA) nesta ter√ßa, que deve determinar a apreens√£o dele.