Apple lança ferramenta que dificulta transações e acesso a senhas em caso de roubo de iPhone

Foto: Apple

Foto: Apple

Um recurso aos iPhones para dificultar que os ladrões que têm o código de desbloqueio de um celular roubado acessem senhas salvas, façam operações financeiras por meio de aplicativos e restaurem os padrões de fábrica para vender os aparelhos foi lançado pela Apple, nesta terça (23).

Esse modo, que pode ser ativado nos ajustes do aparelho, impõe camadas de autenticação adicionais quando o iPhone está longe de locais conhecidos, como casa ou trabalho. A ferramenta, chamada de "Proteção de dispositivo roubado", apareceu pela primeira vez em versão de testes de 12 de dezembro.

A novidade fica disponível a partir da atualização do aparelho para a versão do iOS 17.3, que estreou nesta terça e já está disponível no Brasil. O novo sistema operacional está disponível para iPhone XR e modelos posteriores.

Saiba como funciona – Para acessar senhas e cartões de crédito armazenados, o dispositivo solicitará reconhecimento facial ou de digital —Face ID ou Touch ID—, que não poderão ser substituído pela senha de acesso ao aparelho. Assim, apenas o dono consegue acessar esses recursos, a menos que haja um sequestro.

A alteração da senha no sistema da Apple (Apple ID) ainda fica bloqueada por uma hora, quando o dispositivo pede nova autenticação com Face ID ou Touch ID. Dessa maneira, a fabricante espera aumentar as chances do usuário consiga marcar o aparelho como perdido para apagar ou bloquear dados.

Acompanhantes de Gyn