Dono de moto roubada por dupla que matou policial reconhece criminosos, diz delegada

A Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR) segue com as investigações para concluir o inquérito que trata do latrocínio do cabo da PM Marcos Alan Magalhães Vicente, vítima de uma tentativa de assalto no conjunto Feira X, na noite de 12 de março último.

O policial chegava em casa, de moto, com a filha, quando foi abordado por dois criminosos em outra motocicleta. Eles tentaram roubar a moto do policial e atiraram na vítima.

De acordo com a polícia, um dos suspeitos morreu em confronto com policiais na tarde de quarta-feira (13), em Santo Estêvão. Segundo informações, o suspeito estava portando um revólver calibre 38, além de munições.

Já o outro suspeito de participação no crime foi conduzido por equipes da Polícia Civil. As investigações se baseiam na busca de imagens, câmeras da região, além de testemunhas.

A delegada Tatiane Brito, adjunta da DRFR, explicou que o segundo suspeito se apresentou na Delegacia de Homicídios (DH) de Salvador e negou ter participação no crime, mas a Justiça já tinha expedido um mandado de prisão temporária. Tatiane conta que apesar da negativa do segundo suspeito, a polícia tem provas de sua participação.

A delegada detalha que a motocicleta utilizada pelos criminosos foi tomada de assalto e o dono do veículo foi ouvido e diante de váris fotos reconheceu a dupla.

Acompanhantes de Gyn