Com queda na popularidade, Lula reúne ministros nesta segunda

Foto: Ricardo Stuckert/Presidência da República

Foto: Ricardo Stuckert/Presidência da República

O presidente Luiz In√°cio Lula da Silva (PT) se re√ļne na manhã desta segunda-feira (18) com 38 ministros de seu governo, na primeira reunião ministerial ampla de 2024. O encontro est√° marcado para ocorrer no Pal√°cio do Planalto.

A reunião foi convocada em meio à divulgação de pesquisas de avaliação do terceiro mandato de Lula, que apontaram queda na aprovação do petista.

Levantamento da Quaest indicou que o governo de Lula é avaliado negativamente por 34% dos entrevistados. Em dezembro, o √≠ndice era de 29%. A avaliação positiva, registrada pela pesquisa em fevereiro, oscilou dentro da margem de erro (2,2 pontos para mais ou para menos) e saiu de 36% para 35%.

Pesquisa divulgada pelo Ipec também apontou queda na an√°lise positiva do petista. 33% dos entrevistados avaliaram, no in√≠cio de março, que o governo de Lula era ótimo ou bom. Em dezembro, eram 38%. A queda superou a margem de erro, que é de 2 pontos para mais ou para menos.

A avaliação entre assessores do presidente é de que Lula tem errado ao não fazer acenos a eleitores de centro e conservadores. Declarações a respeito da guerra em Gaza, das eleições venezuelanas e na √°rea da segurança são apontadas como fatores para a queda de popularidade.

Na √ļltima sexta (15), o presidente afirmou ter "consci√™ncia" de que as pesquisas indicam que ele estava "aquém do que o povo esperava". Em discurso no Rio Grande do Sul, ele disse que estava "tudo bem" com a queda nos √≠ndices.

"A imprensa me perguntou: "O Lula perdeu popularidade". E eu falei: 'Tudo bem'. É porque eu estou aquém do que o povo esperava que eu estivesse, eu não estou cumprindo aquilo que prometi. E eu tenho consci√™ncia que não estou cumprindo."

Lula declarou, ainda, que o governo começar√° a colher neste ano resultado de programas lançados em 2023.

"É esse ano que a gente começa o que a gente plantou o ano [de 2023] inteiro. Esse ano que a gente vai começar a colher tudo o que nós prometemos fazer", disse.

No fim do ano passado, durante outra reunião ministerial, o presidente disse que se dedicaria, ao longo de 2024, a agendas dentro do Brasil. O foco em compromissos no exterior foi alvo de cr√≠ticas de pol√≠ticos aliados de Lula.

De olho nas eleições municipais, eles esperam que a divulgação de agendas consideradas positivas com o presidente impulsione candidaturas pelo pa√≠s.

O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, afirmou na sexta (15) que a reunião apresentar√° um balanço de ações do governo. Segundo ele, Lula quer monitorar "mais de perto" o "impacto" dessas medidas na população.

"Nessa reunião [de] segunda-feira, o presidente Lula est√° chamando todos os ministros e ministras. Em primeiro lugar, para fazer um balanço daquilo que foi aprovado ano passado no Congresso Nacional, daquilo que foi lançado, como est√° a execução dessas ações. O presidente Lula quer fazer um monitoramento cada vez mais de perto daquilo que foi anunciado", disse em evento em São Paulo.

O ministro também destacou que deve ser apresentada, durante a reunião, a pauta priorit√°ria do governo no Congresso em 2024. Padilha afirmou que o encontro ser√° uma oportunidade para "mobilizar" ministros pela aprovação dos textos.

Acompanhantes de Gyn